Resenha: A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff

Título: A Playlist de Hayden
Autor (a): Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
SKOOB
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente

Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.
A Playlist de Hayden é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.
Sam é um menino solitário com apenas um amigo, Hayden. Entretanto, após uma desastrosa festa e uma briga, Sam descobre que Hayden cometeu suicídio e deixou uma playlist e um bilhete escrito "Ouça. Você vai entender."

Mas o que Sam menos consegue é entender o que levou Hayden a tal medida extrema. Tudo bem que a família dele não era das melhores e o irmão dele, Ryan, infernizava sua vida, mas para Sam nada justifica a atitude de Hayden, ainda mais quando ele não entende o que as músicas que ele deixou como despedida significam.

Enquanto tenta seguir em frente e aceitar que sei único amigo se foi, Sam acaba conhecendo Astrid, uma garota misteriosa que parece saber muito sobre Hayden, além disso Sam começa a desconfiar dos fatores que levaram seu amigo a cometer tal ato. A Playlist de Hayden tem um leve toque de mistério, muita angústia, dor e uma ótima trilha sonora.
"Aquimago_Ged: Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê."
Me interessei de primeira pela sinopse desse livro por me lembrar muito de Os 13 Porquês, um dos meus livros favoritos da vida. A Playlist de Hayden tem um elemento ótimo como propulsor da trama, a música. Quem gosta e entende do universo musical terá uma ótima histórias em mãos, com referências a grandes cantores Sam demonstra todo o amor que ele e Hayden compartilhavam pela música, a única coisa que parecia ser capaz de entendê-los. 

No entanto, acabei me decepcionando de certa forma com a história. Com uma trama meio travada e uma escrita meio engessada no começo, a autora sabe passar bem os sentimentos dos personagens e até desenvolver a história, porém senti a replicação de alguns clichês durante a trama. Mas tenho que confessar que em alguns momentos fui surpreendida e aqueles que eu acreditava serem os "culpados" não chegavam em perto disso. 
"Sentir raiva só iniciava o ciclo, um ciclo que já se tornava familiar. Ficar com raiva. Culpar Hayden. Sentir culpa. Ficar com saudade do meu amigo. Sentir raiva de novo. Porque eu não podia ser alguém normal e simplesmente me sentir triste como as outras pessoas?"
Sam é um personagem interessante e que dá conta do protagonismo da história. A personagem que mais me chamou a atenção e recebeu meu afeto foi Astrid, responsável por trazer novas informações e ritmo para a história. 

Além disso, a autora, na minha opinião, sobre tratar e falar sobre um tema tão delicado quanto depressão e suicídio. Mas realmente não sei como alguém que possui tais problemas pode se sentir lendo a história, então é bom sempre se informar antes e ter cuidado. No mais, A Playlist de Hayden apresenta um bom ritmo, uma trama que te prende e faz virar as páginas em busca de respostas. A escrita da Michelle e a condução da história tiveram uma grande evolução em poucas páginas, e por mais que Hayden não seja o foco da história, mas sim o que seu ato provocou naqueles que ficaram para trás, o coração ainda fica doído e sempre há o impulso de querer ajudá-lo, mesmo que seja tarde demais. 
"Se havia alguma coisa que eu aprendera com a playlist, é que ouvir as pessoas pode ser importante."
(Mas lembre-se que para as pessoas que você conhece e ainda estão aqui não é tarde demais! Que tal olhar ao redor e ver quem precisa de ajuda?)

P.S: Pra quem quiser ouvir as músicas da playlist que o Hayden deixa para o Sam, o livro tem um site super bacana com todas elas em ordem, só clicar aqui.


6 comentários:

  1. oi flor, eu não solicitei, mas já estou me arrependendo! Vejo só coisas positivas pelo livro e estou cada vez mais tentada a comprá-lo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Debora, tudo bem ???
    Eu não sou nenhuma expert em livros que abordem a temática do suicídio, mas um livro que eu li e que gostei muito foi o Virgens Suicidas. O que eu mais gostei naquele livro é que, apesar de abordar essa temática tão complicada e polêmica, ele demonstra bem o que sentimos com relação ao ato em si. Quem fica para trás, mesmo que tente e chegue perto, nunca vai entender exatamente o que levou certa pessoa a se matar, o que passava pela mente dela, porque ela simplesmente desistiu. É difícil de entender, mas fiquei feliz por saber que o livro tem essa mensagem de que precisamos ouvir os outros, pois as vezes tudo o que a pessoa precisa é ser ouvida !!!
    Bom ... Nem sei onde estava indo com esse comentário. Espero ter chegado em algum lugar, rsrsrs.

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
  3. Deeeeeebs <3 Você leu "Os 13 Porques", que amor, quero muito ler um dia, mas parece que esse livro desapareceu da face da terra! :'( Eu perdi o prazo de solicitação da NC para esse livro, se não teria solicitado, parece ser uma história bem densa, com altos e baixos, mas como tem música e drama no meio, chama muito a minha atenção! Essa questão do suicídio é também bastante delicada, li Por Lugares Incríveis e fiquei noites pensando no livro! É muito triste só perceber que havia algo errado quando é tarde demais :'(
    PS: Adorei o seu parenteses! *O* Sislinda sempre se preocupando e cuidado de todos com muito carinho! <3 Beijos!

    Tici | www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Debora! Gostei da sua resenha, acho que li pouquíssimas sobre esse livro. Ele parece ser super interessante pela temática, mas angustiante também. Costumo ficar meio desconcertada com esse tipo de livro (que implica numa lição), porque acabo associando a história com pessoas na vida real. É triste você ver algo assim se desenrolar, saber que está acontecendo com alguém, mas não saber o que fazer pra ajudar. :/ Apesar disso, sempre acho a leitura válida. Acaba ensinando, ainda que pelo caminho da dor dos personagens.
    Beijos,
    Lis <3 umareescrita.com.br

    ResponderExcluir
  5. Sempre que vejo uma resenha do livro, leio uma pequena comparação com os 13 porquês.. E por isso estou curiosa para ler <3

    ResponderExcluir
  6. Oi Debora!
    Vi muitos blogueiros falando bem desse livro (na verdade, você foi a primeira que vi apontar uma narrativa engessada) e vários o comparam aos 13 Porquês. O curioso é que A Playlist não me desperta tanto interesse, mas 13 sim. Pretendo ler um dia.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário...